08 março, 2007

Um Litoral Frágil

"O litoral Português constitui uma zona de múltiplas e variadas potencialidades, sendo insubstituível quer como espaço lúdico, quer como espaço gerador de riqueza."(Dias, Alvarinho 1990).

Muitos desconhecem, mas 76%, aproximadamente, da população lusa habita no litoral. Também a assinalar é o facto de cerca de 29% da costa estar ocupada com construções destinadas ao turismo, indústria, etc, o que tem como consequência uma produção elevada de resíduos.

O litoral, por si só, é uma área muito frágil e quando as suas potencialidades são degradadas, devido aos factores já referidos, dificilmente se consegue a sua recuperação. A pressão deste tipo de ocupação é reforçada com a pressão turística sazonal.

Um problema comum a todos os litorais do mundo prende-se com o recuo da linha de costa. Este recuo deve-se fundamentalmente aos seguintes factores:

  • elevação do nível do mar;
  • diminuição da quantidade de sedimentos fornecidos ao litoral;
  • degradação antropogénica das estruturas naturais;
  • obras pesadas de engenheiria costeira.

O avanço e recuo do mar é um facto natural, verificado desde sempre. Todavia, o problema tem-se acentuado, isto é, o avanço do mar é, actualmente, um facto que derivou da acção humana.

Fonte: http://www.geota.pt/coastwatch/cw_portugal/olitoral.html

Contributo de: Bruno, Dalila, Estefano e Sónia

2 comentários:

prof. Marcelino disse...

Aqui está uma imagem muito esclarecedora: não falta muito para o mar "engolir" as casas que estão sobre a praia...
Das duas uma, ou o mar avançou muito, ou o homem se instalou na praia... [se calhar foram as duas coisas :(]
Vá lá, arranjem mais exemplos destes...

Anónimo disse...

Gosto muito deste blog.